sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Presença do Amor




  Ver-te tão leve
Solta num vento
Que te da vida
Deixa-te mais bela
Passa a tudo irradiar
De tão simples
Chega a ser complexo
Assim é teu sorriso
Assim é o amor
Sabor irresistível
Que todos querem provar...

Tempo

Meu mar de felicidade

Reside em você


Minutos de amor

Soltos em versos


Guardei você

Em mim


Refogam minhas

Dúvidas


E quando finalmente

Me descubro


Teimo em ser egoísta

E querer te ao extremo


Soa como uma sintonia

Rústica


Mas própria do ser humano

Que se entrega


E implora

Ao coração


Que se instale

Neste único fio


Que sonha a todo custo

Ser infinito.

sábado, 17 de novembro de 2012

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Não Consigo

(Jairo Nunes Bezerra)

Vendo os pássaros levitando pelo espaço,
Eu, poeta, fico embevecido...
E aspiro ter inspiração seguindo seus passos,
Com sinfonia poética enriquecida!

Mas por mais que me concentre,
Minhas frases não se evoluem, ficam extáticas!
Tudo faço para continuar em frente,
Mas minhas idéias ficam embaralhadas!

Contemplo o mar, a lua... Todo espaço,
Quero-os testemunha ocular de meu fracasso,
Por não poder impressionar-te minha amada!

Poetizar com sensibilidade, é o meu desejo,
E chega o escurecer e vai-se o ensejo...
E próximo, as rosas aflitas, ficam extenuadas!
As pessoas precisam mais de você.

sábado, 5 de novembro de 2011

Identidade

Entre aberta uma escolha
E um desafio se mostravam
Duas passagem opostas
Que me faziam repensar
Mas sem medo
Mergulher no mais profundo
Mundo desconhecido
Deixei meu alicerce
Me segurar o quanto pude
E ao acordar supresa
E feliz me vi na vida
Que sempre quis.

Doce descoberta

O céu é um cantinho particular
Todas as vezes que a ponte
Da vida permite-me nele estar
Sou como uma pintura que se apresenta
Aos olhos do encantado
Pura alegria de cores
Que balançam meu coração
Lá posso tudo tocar
Os pássaros de algodão
As ondas de arco-íris
E assim meu sorriso estreia
Uma sintonia perfeita
Com som de quem é capaz de amar
Num cantinho mais que particular.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Vestígios

O prenúncio do vento
me encontra com intensidade
E a cada verso trêmulo de amor
Sinto o frescor
De quem seduz
Assim como respira
Presa a este momento solícito
Penso apenas em você
Peço que estenda teu olhar
No cair da noite
para pratéia que abriga o brilho dos anjos
E ilumina a linguagem do amor
Emanada por Deus
Que sinaliza o nascer de um olhar
Que aguardara seu par
A tempos para que juntos pudessem
Contemplar um a alma do outro.

Quem sou eu

Minha foto
Sou uma eterna apaixonada pela magia das palavras, percorro linhas de imaginação que insistem em me deixar ecoar por de traz de singelos textos, em volta de pleno mistério insóluto expresso na tentativa de viver na linguagem daqueles que como eu buscam se encontrar.